A minha história

A história da minha coleção…

foto mariotorres1

“7 de Junho de 1961, 07h:25m, dirijo-me com passos vigorosos em direcção ao Jardim Júlio Graça onde se encontra a minha mercearia.
7-2-2011a

Neste meu pequeno ritual e enquanto saboreava este despontar para a vitalidade de mais um dia, surgiu envolto na neblina matinal o diretor do Palácio Hotel da nossa cidade, Senhor Pepe Carrera, numa profunda agitação que contrariava com a serenidade que normalmente ostentava. A minha surpresa colidiu com o seu olhar ansioso mas também satisfeito por me encontrar e, de rompante, confessa-me a razão da sua misteriosa perturbação. Uma inesperada reserva deixou-o deveras apoquentado e num desespero solicita-me auxílio para satisfazer um pedido muito especial. No seu hotel iriam ficar hospedados, durante três meses, setenta e quatro altos funcionários públicos e quadros superiores do governo, que manifestaram o desejo de ver contemplados no serviço a ser prestado pelo hotel, a disponibilização de uma gama requintada de vinhos do porto, vinhos de mesa e aguardentes, especificando com muita clareza os seus produtores e marcas: Ferreirinha, Dona Antónia Ferreira, Wiese&Krohn, Real Vinícola, Borges, Niepoort, Taylor’s, Sandeman, Cálem, Constantino.

Confesso que até eu, com experiência de muitos anos no ramo, considerei tratar-se de uma complexa tarefa. Procurei tranquilizá-lo, encetando, de uma forma afincada, uma busca incessante de forma a poder prestar auxílio ao meu amigo em tamanho desafio!

Todos os armazenistas, viajantes e vendedores que abordava, diziam tratar-se de produtos inacessíveis pois estavam destinados ao regular abastecimento do mercado de exportação, designadamente inglês e por isso quase impossível de comercializar no mercado nacional.

As noites seguintes foram testemunhas dos meus apelos ao divino para que descortinasse uma saída para a minha aflição. Oh inclemência! Oh martírio!

Finalmente, os meus pedidos foram atendidos e um emissário inesperado – senhor Sousa, viajante da Casa Ferreirinha – contribuiu para o fornecimento de grande parte dos elixires ansiados, abrindo-me portas a um mundo novo de produtores e caves. A plena satisfação destes ilustres hóspedes impulsionou a conquista de novos clientes desejosos de manter o palato acariciado por estas iguarias incomparáveis. E foi assim que fui recebendo encomendas diretas durante anos.

A qualidade e a crescente procura destas raridades conduziram à sua escassez no mercado.

Paulatinamente, fui investindo o lucro deste negócio em pequenas aquisições destas preciosidades, que ia metodicamente recolhendo e armazenando, constituindo assim a minha preciosa coleção.”

Mário Torres
(1920 – 2008)

Chegou agora a altura de todo este espólio vinícola e estas relíquias serem colocadas à sua disposição.

Aproveite esta oportunidade para conseguir adquirir aquela garrafa, quem sabe, única no mundo, e assim fazer história, a sua própria história.

Dezembro 2015

(Prof Orlanda Almeida, autora do texto)

Idioma
  • Português
  • English